4 perguntas a fazer para otimizar seu investimento em SQL Server

março 14, 2017

Microsoft continua a investir fortemente no desenvolvimento do produto SQL com suas ofertas para IMDBMS, NoSQL (Doc e K-V), diversas ofertas de dbPaaS (Banco de Dados como serviço) na nuvem, acesso integrado para analytics (suportando HTAP) e suporte à mobilidade.

Mas conforme um SQL Server evolui, também evolui a complexidade do seu licenciamento.

O SQL 2012 foi um lançamento de produto importante com recursos corporativos como Always On Availability Groups. A inovação constante então levou ao SQL 2016, com suporte abrangente a Linux e uma maior integração com a nuvem com recursos como SQL Stretch (ampliação de bancos de dados no local com partições na nuvem), permitindo a criação de ambientes de banco de dados híbridos.

É fácil perceber como isso pode levar a um licenciamento muito mais complexo, mas não podemos deixar de lembrar que a Microsoft recebeu algumas das avaliações mais altas pela facilidade de gerenciamento, implementação e programabilidade. Os benefícios do SQL para o negócio podem ser grandes, e os clientes que compreendem suas variações licenciamento do SQL Server podem aproveitar a situação para reduzir custos e o lock-in.

Um dos investimentos mais caros de seu ambiente de TI é o SQL. Estes são alguns dos fatores a considerar para manter os gastos sobre controle:

1. Você está executando a edição ideal do SQL Server para seu ambiente e negócio?

É essencial examinar seus requisitos em termos de desempenho, disponibilidade, etc., para tomar a decisão certa em relação ao SQL Server Edition. Se você fizer a escolha errada, você passará anos tentando fazer com que o sistema tenha um desempenho melhor e seja mais fácil de recuperar do que as suas escolhas permitem. Em resumo, a subutilização do SQL muitas vezes é um desafio e quando a Edição é errada, os custos podem rapidamente sair do controle e diretamente impactar o seu ambiente e negócio.

2. SQL Server no Azure ou SQL Database… qual é a novidade?

Como atualmente grande parte do foco dos aplicativos de negócios depende de dados e envolvem bancos de dados, um dos pontos de entrada principais do Azure é uma instância do SQL Server hospedada na nuvem. Os bancos de dados é um grande investimento em infraestrutura e são críticos para aplicativos de negócios dependente de dados. Por esta razão, muitas das vezes o Azure é mencionado na mesma linha que o SQL Server, pois acaba sendo uma alternativa baseada em nuvem, isto, é, um Banco de dados como Serviço (BDaaS).

O DBaaS pode ser uma escolha sábia para o seu negócio em alguns cenários:

  • Sua organização de TI procura se focar na diferenciação competitiva – não na infraestrutura tecnológica
  • Você está procurando uma maior escalabilidade
  • Você quer parte de suas operações na nuvem

Como o DBaaS é uma fração do custo da nova equipe, ele pode reduzir o peso que possa surgir na implementação de aplicativos de banco de dados.

3. O que há de novo no SQL Server 2016 e como isso afeta meu licenciamento?

O SQL Server 2016 é o maior salto para a frente na história de plataforma de dados da Microsoft. Agora os usuários podem obter insights em tempo real de dados analíticos e transacionais com uma plataforma de banco de dados escalonável que tem tudo integrado.

Cada SQL Server Edition possui um modelo de licenciamento diferente. O SQL Server 2016 Standard Edition fornece a opção licenciamento CAL + Servidor. Sob este modelo, cada servidor executando software para SQL Server requer uma licença de servidor e cada usuário e/ou dispositivo acessando o SQL Server requer uma CAL de SQL Server. O licenciamento por núcleo é uma opção para o SQL Server 2016 Standard Edition e é um requisito para o SQL Server 2016 Enterprise Edition. O licenciamento baseado em núcleo é apropriado quando você não sabe quantos usuários/servidores vão se conectar ao seu sistema SQL Server. Não há necessidade de CALs com o licenciamento por Núcleo. Se você estiver usando o SQL Server 2016 Enterprise em um servidor físico, você deve licenciar todos os núcleos daquele sistema.

Também existe o modelo para Service Providers, utilizado pelo contrato SPLA Microsoft, no qual é possível utilizar o modelo de licenciamento por core e reforça ainda mais idéia da venda do Banco de Dados como Serviço.

4. Grupos de Alta Disponibilidade parecem uma ótima ideia, mas como isso se encaixa em meu ambiente?

Como o nome indica, as soluções de alta disponibilidade do SQL Server “escondem” o tempo de inatividade de quaisquer falhas de hardware ou software, minimizando o tempo de inatividade percebido pelos usuários finais. As opções de alta disponibilidade incluem:

  • Clustering de failover
  • Espelhamento de banco de dados
  • Envio de logs
  • Replicação
  • Bancos de dados escalonáveis

Conte com a SoftwareONE para avaliar essas opções e como elas impactam seu investimento no MS SQL

Procura mais informações sobre o licenciamento do SQL Server 2016? Participe do nosso próximo webinar na quinta-feira, 16 de março às 14:00, EST (Hora Padrão da Costa Leste dos EUA) para saber mais.

  • Aspectos básicos do Licenciamento SQL
  • Implicações de licenciamento da arquitetura SQL
  • Como a SoftwareONE ajuda a otimizar os gastos com SQL

Rodrigo Eleoterio

Autor

Rodrigo Eleoterio

Hosting Solution Specialist da SoftwareONE Brasil. Linkedin

Deixa uma resposta