O que a Netflix e a nuvem têm em comum?

novembro 10, 2016

Já parou para pensar como seria se todo o acervo da Netflix estivesse disponível, mas em formato físico? Isso mesmo, os saudosos DVDs e as nem tão saudosas fitas VHS. Com cerca de 3.500 itens entre filmes, séries e desenhos animados, este acervo físico ocuparia um espaço e tanto, não?

Agora vamos trazer esta situação hipotética para uma lógica digital. Já imaginou se para ter acesso às atrações da Netflix você precisasse ter todos os arquivos salvos em seu computador? Fora o fato de demandar uma capacidade de armazenamento absurda, seria um esforço desnecessário, já que nem tudo que está disponível deve ser do seu interesse.

Pois é aí é que entra a lógica da nuvem como um dos pontos principais para o sucesso da plataforma que já conquistou mais de 75 milhões de usuários no mundo todo. Aproveitando-se das condições favoráveis proporcionadas pela evolução da internet, a Netflix criou um serviço prático e ágil através da transmissão via streaming dos filmes e seriados disponíveis. Ou seja, o usuário não precisa baixar nada, basta um clique e a atração escolhida passa a ser transmitida da própria nuvem.

Tudo na nuvem

Bom, já entendemos que se hoje temos um acervo muito maior que o das locadoras de vídeo que visitávamos em nossas infâncias à distância de uns poucos cliques, é porque a tecnologia em nuvem permitiu que o serviço fosse proporcionado com a velocidade necessária para otimizar a experiência do usuário.

Após análise inicial, a Netflix passou a realizar uma transição gradual de seu conteúdo para a nuvem, abandonando seus datacenters particulares, que certamente ocasionariam episódios de lentidão no serviço cada vez mais frequentes com a popularização da plataforma. A atualização do perfil técnico da empresa foi consolidada em 2016. A Netflix usa de plataformas de armazenamento em nuvem da Amazon e do Google.

Para se ter ideia, só nos EUA, 40% dos dados trafegados são referentes ao serviço de streaming. Foi justamente esse cenário de utilização em massa que convenceu a companhia a abandonar a zona de conforto e sair dos data centers próprios para adotar uma estratégia menos conservadora para alcançar as nuvens.

“A Netflix continua a evoluir rapidamente, incorporando novos recursos e gerando volumes de dados cada vez maiores. Teria sido extremamente difícil suportar esse crescimento tão acelerado em nossos próprios datacenters. Nós simplesmente não teríamos conseguido aumentar a capacidade de servidores com a velocidade necessária”, explicou a companhia em um comunicado oficial.

Modelos de assinatura amistosos

A velocidade proporcionada pelo armazenamento em nuvem não é o único dispositivo “user friendly” da Netflix, seus modelos de conta descomplicados e baratos também ajudam a conquistar novos clientes a cada dia.

Quem não vem gostando nada disso são os serviços de TV por assinatura. Visto que algumas de suas formatações ainda não permitem uma customização por parte dos usuários de acordo com a programação que mais os interessa.

Conteúdo exclusivo

É óbvio que não é só a praticidade proporcionada pelo armazenamento em nuvem e as modalidades amistosas de assinatura que levaram a Netflix ao êxito. Boa parte do sucesso do serviço se dá por conta de séries exclusivas produzidas pela própria plataforma. Nos últimos anos, a Netflix produziu algumas das séries mais memoráveis e queridas pelo público: Stranger Things, House of Cards, Orange is the New Black, Sense 8, Narcos e Demolidor, entre outras.

Um fato interessante sobre as produções próprias da Netflix é que a empresa utiliza de um algoritmo que fornece dados sobre os gostos dos usuários, o que, ao mesmo tempo que permite ao site oferecer atrações mais adequadas ao gosto de cada assinante baseando-se no seu histórico de filmes, possibilita um estudo das preferências de seus usuários como um todo.

Sucesso absoluto da plataforma, a série House of Cards, dirigida por David Fincher (Seven – Os sete pecados capitais e Clube da luta) e estrelada por Kebin Spacey (Frank Underwood) e Robin Wright (Claire Underwood) é produto de uma pesquisa da Netflix com as preferências de seus usuários. Ou seja, um tremendo caso de sucesso advindo da análise de Big Data e, mais uma vez a nuvem entra em ação.

Serviços que usam o mesmo modelo

Não por acaso, existem outros serviços que adotaram sistemas de conta semelhantes ao da Netflix, abandonando complicações na formatação dos pacotes em prol de modelos mais amigáveis.

Um caso célebre é o Office 365, que passou a oferecer planos customizáveis: a cobrança é realizada por quantidade de pessoas cadastradas na rede da empresa por mês, tendo, assim valores variados.

  • Office 365 Business Essentials…………………………………… R$ 21,90 usuário/mês (anual)
  • Office 365 Business………………………………………………….. R$ 36,10 usuário/mês (anual)
  • Office 365 Business Premium…………………………………….. R$ 54,70 usuário/mês (anual)

Mas, a semelhança mais interessante, que revela uma tendência que deve definir os próximos anos da TI, é a aposta do Office 365 na transição para a nuvem. A plataforma oferece diversos serviços que incentivam o usuário a transferir seus dados para a nuvem, proporcionando praticidade e segurança.

SoftwareONE Cloud Support

Para você fazer como a Netflix e entrar no novo momento da TI transferindo seus dados para a nuvem, criamos o SoftwareONE Cloud Support. Com ele, ficará muito mais fácil para você realizar essa transição tão importante para manter sua empresa atualizada

SoftwareONE Cloud Support é um Serviço gerenciado para auxiliar clientes com suporte em seus processos de administração e cobrança do Office 365.

Também disponível em planos customizados para você escolher o que melhor atende as suas necessidades (Premium, Avançado e Básico), o serviço fornece relatórios de todas suas atividades em nuvem, além de prover segurança e facilidade no manuseio.

SoftwareONE Cloud Insider

A SoftwareONE tem ajudado mais de 4,6 milhões de usuários a acessar o Office 365 em todo o mundo. E para simplificar este processo com relatórios que realmente façam sentido para sua empresa, o serviço Cloud Insider completa esta parte de suporte oferecida pela SoftwareONE. Com ele, você recebe relatórios detalhados, total e automaticamente personalizáveis para ajudá-lo a identificar os serviços que não estão sendo usados, gerenciar a segurança e medir o retorno sobre o investimento. E também são 3 tipos para atender às necessidades de cada negócio:

  1. CLOUD INSIDER: Rastreie e identifique irregularidades na quantidade de spam que sua empresa está recebendo e receba e-mails automatizados em formato PDF ou CSV.
  1. CLOUD INSIDER COMMUNICATION: Obtenha uma visão geral completa sobre como seus funcionários estão usando o Skype for Business e monitore a adoção de serviços com a discriminação de nível de atividade e tipos de sessão no nível do usuário.
  2. CLOUD INSIDER COLLABORATION: Receba relatórios sobre o tráfego de e-mail por usuário, tamanhos de caixa de correio para ajudá-lo a identificar onde o armazenamento pode ser salvo.

E aí, vai fazer como a garotada de Stranger Things, o casal Underwood de House of Cards e as garotas de Orange is the New Black e subir para nuvem ou vai ficar parado no tempo?

Saiba mais sobre o SoftwareONE Cloud Support e Cloud Insider no webinar gratuito que acontecerá no dia 13 de dezembro, às 10h.

[FAÇA SUA INSCRIÇÃO AQUI]

Até lá, deixe seus comentários aqui embaixo para já irmos conversando.

Thiago Santanna

Autor

Thiago Santanna

Com mais de 16 anos atuando no mercado de TI, Thiago é Cloud Sales Leader na SoftwareONE Brasil desde 2016.

Deixa uma resposta