MIKE GERSTEN FALA SOBRE O PYRACLOUD, GASTOS COM SAAS E COMO GERENCIAR TUDO ISSO

fevereiro 1, 2019

Mike Gersten, nosso Diretor de Inovação e Estratégia Global da SoftwareONE, foi entrevistado por Stu Miniman, do CUBE, no Boston SiliconANGLE Media studios para discutir como o gasto de software é impactado em um mundo multi-nuvem e o que a SoftwareONE faz para ajudar os clientes a navegarem este território de mudança constante. A entrevista ocorreu em um formato de perguntas e respostas e as mesmas foram parafraseadas, selecionadas e destacadas abaixo para o formato do nosso blog. Dá uma olhada!

QUEM É A SOFTWAREONE E PORQUE A NUVEM É UMA PREOCUPAÇÃO?

Stu Miniman (SM): Nós temos visto um pouco de clareza em torno desses tópicos sobre nuvem, discutido por mais de uma década. As empresas estão finalmente implementando suas estratégias e entendendo o que fazer com o Software as a Services (SaaS) e a nuvem pública. A SoftwareONE, todavia, parece ter trabalhado com a nuvem muito antes de ela ter se tornado popular. Como o trabalho da SoftwareONE se encaixa com a nuvem?

Mike Gersten (MG): somos uma empresa de 30 anos de idade com uma presença em mais de 85 países e obviamente a gestão de portfólio de software é o nosso principal foco. Todavia, olhamos para a nuvem e vemos a Microsoft, a VMware, a Oracle e muitos outros players rejuvenescendo e se tornando uma nova peça desse quebra-cabeça que é a nuvem. Estamos bem ao lado deles assegurando que os nossos clientes possam gerenciar seus portfólios independentemente se estão na nuvem ou não.

O SAAS É UMA FORMA MAIS FÁCIL DE TRABALHAR NA NUVEM?

SM: qual é o comprometimento dos clientes com um fornecedor em particular?

MG: hoje é definitivamente mais complexo. A promessa do SaaS foi agilidade e flexibilidade e a habilidade de mudar de um modelo de operação Capex para um que é Opex (mais como o “pay as you go”). Isso, claro, é apelativo a fornecedores de software porque permite mover de uma renovação de licença de três anos tendo um acordo perpétuo. Todavia, os desafios estão em um novo conjunto de complexidades que não foram previstos pelos clientes no início. Isso é, a Shadow IT; as pessoas estão comprando incontáveis aplicações de SaaS com os cartões de crédito do departamento e a área de compras não tem ideia que do que está acontecendo. Os custos estão saindo do controle.

SM: então o SaaS tornar as coisas mais fáceis, mas agora ninguém vê a expansão e nada é auditado ou rastreado. Como a SoftwareONE ajuda com esta falta de visibilidade?

MG: a fortaleza da SoftwareONE está em torno do fornecedor, ativo e gestão financeira. Olhamos para o tamanho correto do investimento. Se olharmos na análise de consumo do IaaS, as empresas podem comprometer centenas de milhares de dólares antecipadamente e só depois perceber que o compromisso preditivo antecipado foi gasto excessivamente. Um exemplo de como isto poderia acontecer são cargas horárias rodando à noite, quando não foram necessárias – desligue isso e você economiza dinheiro e dimensiona corretamente o ambiente.

COMO AS EMPRESAS PODEM GERENCIAR MELHOR OS GASTOS COM NUVEM?

SM: no passado, em relação ao datacenter, 70-90% do negócio estava simplesmente dedicado em “manter as luzes acesas”. Hoje, a nuvem que supostamente tornaria as coisas mais fáceis, na realidade necessita de um engenheiro dedicado para arquitetar e gerenciar o gasto financeiro. Como você enxergas as empresas gerenciando os gastos com nuvem hoje?

MG: a maioria das organizações tem um documento reconhecendo seus gastos com nuvem, mas não é o que chamaríamos de uma estratégia de nuvem real. No mundo on-premises (que ainda compreende 85% das empresas hoje) um acordo de licença mostra o que um cliente tem o direito de usar e compara isto com o que está instalado. Na nuvem, o mundo é o mesmo, mas no outro lado da assinatura, não há inventário – simplesmente consumo.

QUAL É A MELHOR MANEIRA DE GERENCIAR EFETIVAMENTE A NUVEM PRIVADA?

SM: se você tiver uma nuvem privada, como você alcança o mesmo nível de modelo operacional e eficiência da nuvem pública? Quais tendências da gestão de aplicação estão lá fora hoje? E por último, mas não menos importante – renovação e mudança – recomendados ou uma perda de tempo?

MG: no passado, no mundo on-premises sempre houveram muitas ferramentas para gerenciar quais licenças estavam realmente sendo usadas. Levará tempo para alcançar o mesmo nível na nuvem. Quanto à renovação e mudança – definitivamente atraente – mas muitas das cargas horárias que podem pertencer à nuvem, precisam ser primeiro otimizadas. Isso exige capital intelectual, não “força bruta”.

SM: quem está ajudando no mundo multi-nuvem?

MG: no centro disso, os fornecedores querem o que é melhor para o cliente. Nós vemos uma forte concorrência tanto para o suporte on-premises e o suporte na nuvem, mas não vemos ninguém se preocupando muito com a gestão de toda a propriedade, similar ao que a SoftwareONE está alcançando.

O QUE É NOVO PARA O PYRACLOUD?

SM: quais são as atualizações mais recentes no PyraCloud?

MG: uma das maiores atualizações no PyraCloud é como os nossos clientes estão utilizando para visibilidade de suas propriedades de software. Você não tem que comprar software através do PyraCloud – muitos clientes usam a plataforma como um ponto de referência para abrigar os dados de direito, atualizações/downgrades, várias geografias e depois comparar isso com como o software está na verdade sendo usado – tudo em um único lugar.

SM: o quanto as pessoas/propriedade intelectual estão envolvidos no PyraCloud?

MG: metadados é a base da plataforma do PyraCloud. É como você identifica recursos e cria metadados para cada recurso tanto on-premises quanto na nuvem. Todos os provedores de nuvem têm sistemas de identificação (tagging) mas eles são únicos do produto – o PyraCloud dá uma visão abrangente de toda a propriedade. Você pode então, aplicar isso para a estrutura da organização – seja ela geografia, linha de serviço, etc. Mas exige consultores e mão de obra para ajudar os nossos clientes a alcançar este nível de visibilidade.

SM: o que está por vir para o futuro do PyraCloud?

MG: nós estendemos muito da funcionalidade para incorporar a parte da gestão financeira – ferramentas de elaboração de orçamentos que estão solucionando os problemas dos clientes. Por exemplo, os nossos clientes estão usando o PyraCloud para fazer estornos, automatizar o processo de fatura e gerenciar todo o portfólio.

E O FUTURO?

SM: quais outros problemas a SoftwareONE prevê no futuro?

MG: a expansão continuará, particularmente no mundo de SaaS. Os clientes têm 20-30 ferramentas de SaaS mas muito pouca visibilidade de quem está fazendo a compra, onde estã e o que está sendo usado. O IaaS continuará a ser um foco enquanto esta é uma porção significante do gasto geral no mercado de nuvem.

Powered by Rock Convert
Equipe de Redação

Autor

Equipe de Redação

Deixa uma resposta