Gestão de ativos de software: como limitar riscos?

Maio 7, 2018

Um dos grandes problemas com o qual a TI lida no dia a dia é a gestão de ativos de software. Essa prática de negócios gira em torno da administração, manutenção, utilização e otimização das aplicações utilizadas por uma organização e visa minimizar riscos e maximizar a performance.

A gestão de ativos de software, por vezes referida pela sigla SAM (Software Asset Management), é uma parte estratégica da TI e consiste na monitoração das ferramentas utilizadas pela empresa para garantir sua boa utilização e compliance.

Um dos principais recursos na gestão de ativos de software é a administração de licenças, que garante que todo software utilizado pelo negócio é legal e não será afetado por uma auditoria.

Outro ponto importante que a SAM desempenha é o de avaliar os tipos de licença adotados pela empresa e certificar-se de que ela não está pagando mais caro do que deveria por uma aplicação.

Esse e outros riscos, como o controle de quem tem acesso a um software e quando esse acesso é realizado, são pontos importantes da gestão de ativos de software. Veja, a seguir, algumas dicas para implementá-la com sucesso em sua organização!

Nunca use software sem licenças

Uma empresa tem muitos motivos para evitar o uso de software pirata, mas o principal deles é fugir dos riscos inerentes à sua instalação.

Além de ser ilegal, e um risco em termos de compliance, produtos piratas não oferecem suporte ao consumidor, não garantem atualizações de segurança periódicas e podem causar problemas às máquinas.

Toda vez que uma aplicação é pirateada, perde-se a garantia da integridade dela. Isso significa que ali pode haver um código malicioso que representa um risco para as operações do negócio. Portanto, proteja-se adquirindo software de vendedores de boa reputação e armazene a licença deles em um lugar seguro.

Automatize o processo

A TI pode ver muitos benefícios ao implementar a automação da gestão de ativos de software. Há vários recursos disponíveis que permitem aumentar a eficiência do processo e evitar a incerteza de ferramentas manuais.

Soluções automatizadas reduzem o tempo demandado na administração desses ativos e uniformiza o trabalho, gerando relatórios que podem ser comparados com facilidade ao longo do tempo.

Consulte o seu fornecedor de software para conhecer algumas das opções nesse sentido e incentive a empresa a optar por elas sempre que possível.

Garanta a máxima utilização do software contratado

Quando compramos um software e não fazemos uso de todas as suas funcionalidades, estamos jogando dinheiro fora. Por isso, entre as preocupações da sua equipe de TI, deve estar a necessidade de avaliar como os usuários interagem com as ferramentas.

Um bom programa de monitoramento deve oferecer esse tipo de informação e permitir que compras, contratos e suporte estejam alinhados para maximizar o retorno obtido com cada software.

Compreenda os riscos na gestão de ativos de software

Provavelmente, o maior desafio na gestão de ativos de software é compreender os riscos que essa disciplina pode representar para uma empresa quando mal executada.

Por isso, quanto mais conhecimento você adquire a esse respeito, mais apto estará para lidar com os principais problemas. Então, leia e pesquise materiais sobre o assunto.

Determinar o impacto que a má gestão dos ativos de software pode acarretar é o primeiro passo para implementar técnicas mais eficientes no manejo deles.

Ficou interessado pela gestão de ativos de software? Então, este post sobre gerenciamento de riscos de conformidade de software pode ajudar você a entender ainda melhor do assunto. Confira!

Equipe de Redação

Autor

Equipe de Redação

Deixa uma resposta