Gestão de inovação: como acompanhar e gerenciar a equipe criativa?

novembro 17, 2016

Gerenciar uma equipe criativa pode ser um grande desafio, além de requerer um equilíbrio constante por parte do líder. Por um lado, é preciso manter um ambiente que incentiva a inovação e a experimentação de novas tendências.Por outro, é preciso impulsionar as pessoas para frente, de modo a produzir as tarefas no tempo e no orçamento que atenda às necessidades da empresa.

Para atingir o sucesso nessa jornada, líderes criativos bem-sucedidos devem priorizar a construção de uma cultura voltada para o aumento da produtividade e da organização interna. A base disso é direcionar os investimentos para manter bons profissionais e ter confiança na equipe — mesmo que uma ideia seja predefinida, é importante abrir espaço para a inovação.

Pensando nisso, preparamos um post com 3 práticas importantes para auxiliá-lo a ter uma gestão como foco em resultados. E então? Pronto para aprimorar suas habilidades? Acompanhe!

1. Lembre-se: bons designs levam tempo

Basicamente, em um trabalho onde há alguma envoltura com a gestão de inovação, a pessoa encarregada pela tarefa está sujeita à chamada “barreira de criatividade”. Grande parte dos gerentes criativos também são designers e sabem como a barreira pode afetar a produtividade — mas que isso não é algo relacionado à falta de motivação ou de comprometimento com a empresa. Às vezes trabalhar com outro projeto – mudar o foco por um tempo – ajuda a oxigenar as ideias e retomar o processo criativo.

É interessante compreender que alguns projetos podem demandar mais tempo que outros. Uma boa dica para contornar essa questão é incentivar o trabalho em conjunto. Enquanto um passa por uma fase de inibição, o restante da equipe pode motivá-lo. Vale a pena investir nessa prática!

2. Não se esqueça dos feedbacks

Uma das responsabilidades de um líder criativo é dar forma aos resultados, retornando feedbacks positivos — ou mesmo negativos para a equipe que o desenvolveu. O objetivo mais importante aqui é manter um diálogo conciso, abrir espaço para opiniões e direcionar os feedbacks para agregar valor à equipe.

Essa prática otimiza o engajamento dos funcionários, que passam a trabalhar com mais satisfação e conforto em relação aos seus superiores hierárquicos. Os resultados serão claros em termos de produtividade.

3. Adote práticas de organização

Além da própria produção criativa, uma equipe precisa administrar informações de clientes, controlar os prazos para entrega dos trabalhos e até buscar novas oportunidades na gestão de inovação. Ressaltamos que a organização é um passo fundamental para exercer várias tarefas sem perder a qualidade no produto final.

Para auxiliar nessa prática, é interessante investir em uma solução tecnológica com abordagem prática e direta para os principais desafios que a empresa enfrenta no dia a dia. Uma dica é manter parceria com profissionais especializados e prontos para atender as demandas específicas do ramo criativo.

Conclusão: Estratégia x Gestão de inovação

Líderes criativos precisam, acima de tudo, desenvolver habilidades de relacionamento com a equipe e direcioná-la para a produtividade/organização — essas práticas devem ser reconhecidas como um princípio interno da empresa. Um ambiente saudável, dinâmico e “fun” podem contribuir para que as ideias fluam naturalmente e a inovação seja uma constante no dia a dia do time

Sem dúvidas, as outras dicas fazem parte de uma abordagem estratégica, imprescindível nos dias de hoje para quem quer destaque e competitividade no mercado. É necessário aliar uma boa dose de produtividade e organização neste caminho, mas não se esqueça: é mais importante ser um líder do que ser um chefe.

E então, o que achou dessas práticas para melhorar sua gestão de inovação? Não se esqueça de compartilhar este artigo nas redes sociais e se tornar referência em criatividade!

85271b5f-8538-4ad8-afe7-8f9b7a40de56

Fernanda Ciancia

Autor

Fernanda Ciancia

Marketing Leader SoftwareONE Brazil. Linkedin

Deixa uma resposta