Investimento em TI: setor financeiro lidera este ranking

março 18, 2018

Apesar da crise econômica dos últimos anos, o investimento em TI continua firme e forte no país.

É o que mostra a mais recente pesquisa de tecnologia bancária da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que reafirmou a força do setor financeiro no mercado brasileiro de tecnologia da informação.

Neste post, vamos mostrar para você qual é a área de TI que lidera os aportes desse setor.

Além disso, você também saberá quais são as tendências tecnológicas do momento e como está a proporção de investimento em tecnologia no resto do mundo.

E aí, ficou interessado? Então siga com a leitura!

O maior investimento em tecnologia

Segundo a pesquisa da Febraban, os investimentos e gastos com tecnologia no Brasil chegaram a 42,9 bilhões de dólares em 2016.

O mercado financeiro — formado por bancos, seguradoras, empresas de previdência privada, instituições de crédito, financeiras e corretoras de valores imobiliários — é o setor privado que mais tem investido em TI.

Foram R$ 18,6 bilhões no período, o equivalente a 14% dos investimentos em tecnologia no país. Esse é o mesmo índice dos aportes governamentais, que em 2015 lideravam sozinhos o ranking.

Já no cenário global, o setor financeiro é o 2º colocado, com uma fatia de 13%, atrás apenas dos gastos dos governos (16%).

E, de acordo com dados da consultoria Gartner, em 2016 foram direcionados 2,7 trilhões de dólares para gastos e investimentos em tecnologia.

O software e o investimento em TI

Os dados mostram ainda que, do total investido em tecnologia pelos bancos em 2016, a maior parte (45%) foi para o desenvolvimento de software, seguido por hardware (35%), telecomunicações (19%) e outras tecnologias (1%).

Segundo a Febraban, a mesma tendência foi verificada em estudos anteriores.

Quando analisados os investimentos e despesas relacionados à implantação de novas tecnologias, analytics (47%), Big Data (24%) e computação cognitiva (18%) despontaram como as que mais demandaram capital em 2016.

Além disso, verificou-se que 65% dos bancos estudam a implantação do blockchain.

Para os autores da pesquisa, isso demonstra cada vez mais uma inclinação entre os bancos de entender o perfil dos seus clientes para atendê-los melhor.

O mobile banking e as transações financeiras

O estudo mostrou, ainda, que as transações bancárias feitas via dispositivos móveis praticamente dobraram em relação a 2015.

Com esse desempenho, o canal superou o internet banking pela 1ª vez, assumindo a liderança entre as plataformas utilizadas pelos clientes: foram 34% do total das operações, contra 23% do 2º colocado.

Se levadas em conta somente as transações com movimentação financeira, o salto foi ainda maior: as 500 milhões de transações, em 2015, foram para 1,2 bilhão no exercício passado — uma expansão de 140%. Nos últimos 3 anos, o volume quadruplicou.

Viu só como o investimento em TI é fundamental? Se você deseja aprender ainda mais sobre esse assunto, assine a nossa newsletter e receba todas as novidades do setor na sua caixa de entrada!

Equipe de Redação

Autor

Equipe de Redação

Deixa uma resposta