Como implantar a Governança de TI?

julho 13, 2016

Em um cenário no qual empresas dependem dos seus ativos de TI para a criação de serviços mais eficazes e com baixo nível de erros, a forma como a infraestrutura de serviços digitais é gerenciada desempenha um papel de destaque na forma como empresas conseguem lidar com os seus projetos e abordagens de mercado.

Quer saber como implantar a governança de TI no ambiente corporativo? Então acompanhe o texto a seguir!

O que é a política de governança de TI

A governança de TI pode ser definida como um conjunto de regras e medidas operacionais que buscam tornar o ambiente digital de um negócio mais eficaz e com índices de erros menores. Ela irá abordar rotinas de segurança, metas de qualidade, KPIs, ferramentas de monitoramento de recursos e outras técnicas que facilitam a melhoria da infraestrutura de TI corporativa. Consequentemente, as soluções digitais poderão ser integradas mais profundamente aos negócios, aumentando o grau de inovação da empresa.

Uma boa governança de TI auxilia gestores a implementarem melhorias continuamente, além de acompanhar a qualidade das rotinas de gestão do empreendimento. Serviços e profissionais passam a ser avaliados constantemente, com erros sendo identificados em uma velocidade e frequência maior. Assim, gargalos operacionais são eliminados, criando uma cadeia operacional mais eficaz e com menos falhas.

Em longo prazo, a governança de TI ajuda empresas a tornarem os seus ativos digitais partes fundamentais do core business do empreendimento. É possível otimizar o funcionamento de rotinas, tornar projetos mais eficazes e garantir que o ambiente de trabalho seja altamente confiável. Consequentemente, o negócio será mais competitivo e, da mesma forma, irá gerar receitas maiores.

Como alinhar TI com os objetivos do negócio

Uma política de governança de TI eficaz deve ser abrangente. Ela irá auxiliar profissionais a criar um longo planejamento de investimentos e rotinas, que tornam os serviços de TI mais eficazes e com maior capacidade de atender as necessidades do empreendimento. Nesse sentido, ela deve ser alinhada com os objetivos do negócio, agregando valor aos projetos mais importantes do empreendimento.

O alinhamento dos objetivos da governança de TI com as metas do negócio de médio e longo prazo deve ser feito por meio de reuniões e a criação de canais de comunicação entre os principais setores do negócio. A tecnologia, nesse caso, deve ser vista como um instrumento que auxilia a empresa a atingir os seus objetivos, com ferramentas que tornam os serviços mais flexíveis e econômicos.

Nesse cenário, os investimentos que serão realizados devem ser definidos de acordo com os projetos de longo prazo. Caso a empresa tenha planejado um grande projeto de expansão, por exemplo, a computação em nuvem pode ser considerada, uma vez que ela torna sistemas mais escaláveis e com um desempenho mais amplo. Assim, as rotinas de TI poderão facilitar a busca por novos mercados, com a empresa criando processos mais inovadores continuamente.

5 passos para a implantação de uma política de governança de TI de sucesso

A implantação de uma boa política de governança de TI deve incluir métricas e um planejamento de longo prazo, que avalie a infraestrutura de serviços continuamente e leve em consideração a forma como processos e rotinas diversas são definidos. Nesse sentido, podemos destacar alguns passos de como implantar a governança de TI de modo eficaz:

1 – Criação de metas e KPIs

Metas e indicadores de qualidade fazem parte da rotina de vários setores. Elas auxiliam a melhora contínua do trabalho de profissionais, rastreamento de falhas e processos que possam ser otimizados em médio e longo prazo. Nesse sentido, tais indicadores devem ser definidos de acordo com a capacidade dos times, o que permitirá a sua modificação conforme processos de melhoria forem adotados.

2 – Uso de tecnologias inovadoras

Um bom gestor de TI está sempre atento a novas tendências de TI. Elas devem ser avaliadas conforme as necessidades do empreendimento. Assim, ela será capaz de sugerir investimentos que tornam o ambiente de trabalho mais eficaz e inovador.

Isso vale, por exemplo, para soluções de cloud computing e big data. Elas facilitam a gestão de dados, tornando rotinas de armazenamento, acesso e análise mais poderosas e com maior escalabilidade. Assim, empresas podem manipular informações digitais com um desempenho mais amplo e sem riscos de segurança.

3 – Implementação de canais de comunicação e feedbacks

Para que os indicadores se tornem vetores de melhorias, a empresa deve criar canais de comunicação interna e realização de feedbacks. Dessa forma, gestores de TI serão capazes de indicar boas práticas, avaliar problemas e eliminar o desalinhamento de rotinas entre a equipe de técnicos e analistas. Os canais de comunicação também podem ser utilizados para a melhoria da distribuição de tarefas, com gestores designando atividades dinamicamente.

4 – Adoção de políticas de segurança e privacidade

As políticas de segurança e privacidade tornaram-se indispensáveis diante do grande número de ameaças a que empresas estão expostas. A maior dependência de ativos de TI eleva o número de vulnerabilidades que podem ser exploradas por malwares para roubo e exposição de dados. Dessa forma, o gestor de TI deve implementar processos que tornem o ambiente digital mais seguro e confiável.

Isso pode ser feito por meio de várias técnicas. Sistemas de monitoramento de rede auxiliam no rastreamento de malwares. Já os protocolos de segurança e criptografia impossibilitam o roubo de dados.

Regras de acesso e sistemas de autenticação complexos também podem ser implementados. Eles impedem que pessoas obtenham o acesso não autorizado aos registros corporativos e facilitam a gestão dos usuários. Assim, a política de segurança e privacidade pode ser utilizada para que empresas tornem os seus serviços digitais mais confiáveis e com menos falhas de segurança.

5 – Uso de documentos

O alinhamento das rotinas da empresa com os principais padrões do mercado pode ser feito por meio de manuais de boas práticas, como a biblioteca ITIL. Criada na Inglaterra, a ITIL é um conjunto de livros que auxiliam profissionais a tornarem os serviços de TI voltados para o usuário, com a implementação de ferramentas e metodologias que aumentam a capacidade do setor de atender as necessidades dos usuários.

Ao alinhar os padrões internos com os do mercado, a empresa pode obter certificados de eficiência com mais facilidade, tornando os seus serviços mais competitivos e atraentes.

Agora que você já tem dicas de como implantar a governança de TI, saiba que uma das formas de a tornar ainda mais eficaz é por meio da realização de auditorias de software. Entenda quando ela deve ser feita conversando com um dos nossos especialistas agora mesmo!

softwareone2016-04-04_3

Equipe de Redação

Autor

Equipe de Redação

Deixa uma resposta